2.jul.2014

Saiba um pouco mais da história de São Sebastião, litoral norte de São Paulo

São Sebastião é a cidade mais antiga do litoral norte. Sua beleza natural acaba sendo o que mais chama a atenção dos visitantes, mas em seus 378 anos construiu uma cultura caiçara rica em muitas características, tanto materiais quanto imateriais. O crescimento da cidade não impediu que mantivesse suas raízes, e é possível observá-la apenas de olhar o Centro Histórico, com a Igreja Matriz, a Capela de São Gonçalo e a Residência à Praça do Fórum, além dos casarios do período colonial e os sete quarteirões tombados, que garantem a essência do município.

Uma das curiosidades do município de São Sebastião é que é proibida a construção de edifícios, e, com isso, as casas dominam a orla e preservam a cultura caiçara. Os investimentos atuais permanecem com projetos de restauração de prédios do centro histórico, para que continuem preservando sua identidade.

 
As capelas caiçaras nas praias merecem destaque como representantes do patrimônio cultural sebastianense, já que a religiosidade sempre foi marcante na cultura de São Sebastião, que é representada por capelas distribuídas pelas praias onde se originaram vários povoados, e hoje permanecem com grandes celebrações.

Camburi é um importante centro de cultura caiçara, ainda mais quando o assunto é arte. Na rua principal da praia é possível encontrar casas com barraquinhas montadas, com várias opções de objetos típicos de arte, que são confeccionados por pescadores, artesãos e comerciantes. Peixes e pássaros coloridos moldados em caixeta tem as mais diversas formas e funções. A caixeta é caracterizada por ser uma madeira clara e mole, que cede fácil aos instrumentos de trabalho de caiçaras que se concentram na região, como o formão e a faquinha, que garantem trabalhos que retratam a flora e a fauna locais.

O artesanato local também tem grande importância em Juquehy, que oferece peças em tabua, como chinelos, chapéus e grandes tapetes. Nos sertões do Camburi se concentram artistas que trabalham com os mais diversos materiais, e enriquecem a cultura do município. Não somente o artesanato típico está presente, como a música e o teatro também acrescentam na história das praias de São Sebastião.

A praia de Boiçucanga é separada das outras mais ao norte por uma serra que antigamente dificultava a comunicação e o acesso com o centro da cidade, que fica a 35 quilômetros. Por isso, desenvolveu uma completa infraestrutura com os mais diversos serviços, como banco, correio, hotéis e restaurantes, sendo atualmente a preferência dos jovens. Mas os pescadores da região ainda retratam a principal cultura caiçara da praia, com a pesca artesanal que resiste ao tempo, já que até hoje eles estão sempre trabalhando com suas redes e barcos na entrada do rio, garantindo os peixes frescos para os pratos elaborados e típicos da região.

Para saber mais informações sobre restaurantes e pousadas em Camburi e Boiçucanga basta entrar no site do Roteiro de Turismo em http://www.roteirodeturismo.com.br/hoteis-e-pousadas/sao-paulo/camburi/ e para chegar até São Sebastião basta dirigir pela Rodovia Dutra até a cidade de São José dos Campos e tomar a Rodovia Tamoios para descer a Serra do Mar até Caraguatatuba. Em Caraguá, tomar a direção de São Sebastião pela Rodovia Rio Santos.

#publieditorial



Categoria: Diversos
Tags:
comentários
  1. 21/07/2014 às 3:16 AM

    Olá, Ariane! Pela descrição, parece ser linda a cidade! Fiquei curiosa para conhecer.
    Lhe convido a conhecer meu blog, que estou inaugurando hoje! Ficaria muito feliz com sua presença.

    Bjinhos,

    Jenni Karolyne
    http://www.jennikarolyne.com

  2. 25/07/2014 às 11:58 AM

    Oi Ariane, tudo bem?
    Por que você não está mais atualizando o blog? Sinto falta dos seus posts 🙁

    Beijos e não some não!!
    Erika Santos

Seu nome:
Seu e-mail:
Seu blog:
Mensagem: